Para ler e meditar

Mensagens

direcionadas à:

 

 

  • Uns condenam a educação moderna, saudosos dos tempos em que as crianças obedeciam aos pais pelo olhar e tremiam diante do mestre. Outros aprovam a nova educação sem a conhecer e fazem do seu princípio de liberdade uma forma de abandono. Não há liberdade irrestrita, pois a liberdade só pode existir dentro das condições necessárias. Um home solto no espaço, livre até mesmo da gravitação, não pode fazer coisa alguma e perecerá na desolação. Para que ele tenha liberdade é preciso que esteja condicionado pelo meio físico, pisando a terra e aspirando o ar, condicionado pelo corpo e pelo meio familiar e social, e assim por diante.

    A educação antiga era uma forma de domesticação. As crianças eram tratadas como animais. A educação moderna, a partir de Rousseau, é uma forma de compreensão. O seu princípio básico não é a liberdade, mas a compreensão da criança como um ser em desenvolvimento. O seu objetivo não é o abandono da criança a si mesma e sim o cultivo paciente da criança, para que possa crescer sadia no corpo e no espírito. Os maus juízos sobre a nove educação provêm do seu desconhecimento pelos pais e pelos mestres, muitos dos quais não possuem aptidão para educar.

    Para os órfãos, o trecho

     

    Irmão Saulo ,Na era do Espírito.

     Francisco Cândido Xavier – HerculanoPires.

A Plantação Imprimir E-mail

A PLANTAÇÃO


É muito grande o trabalho,

Enorme a preparação,

Na terra que se destina

Às fainas da plantação.

É preciso desprezar

Certas plantas, certas flores

Retirar os espinheiros

E arbustos inferiores.

Depois da foice aguçada,

Que opera o desbravamento,

Vêm, a golpes de enxadão,

Limpeza e destocamento.

No corpo da terra nua,

Em lutas laboriosas,

Há frondes e flores murchas,

Cicatrizes escabrosas.

Logo após, o arado amigo,

Cuidadoso, traça a leira,

Completando atividades,

Devidas à sementeira.

O solo dilacerado

Dá conta do esforço ingente,

A terra aberta e ferida

É o berço justo à semente.

A zona que se consagra,

Às tarefas de cultura,

Fornece lições diversas

Ao campo da criatura.

Muita gente julga, a esmo,

Que as lutas da educação

Se resumem a teoria,

Discurso e doutrinação.

Mas o problema; é bem outro:

Não se dispensa a harmonia

Entre ação e ensinamento,

Nos quadros de cada dia.

*

Dores, lutas e sofrimentos,

São bênçãos de formação

Da Divina Sementeira

Nas zonas do coração.

(Francisco Cândido Xavier por Casimiro Cunha . in: Cartilha da Natureza)